Vivo das palavras inconscientes, secretas e invisíveis. Louca por cada detalhe teu. Sou eu... Sou eu, em ti. E não me descreveria melhor.

Início ~ Cartas ~ Sobre mim

sábado, maio 5

4 # Carta para o teu irmão

Escrevo-te hoje porque é o teu dia. E sim, mereces tudo. As palavras prendem-se e impossibilitam a minha escrita sobre esta carta. E elas costumas libertar-se com a maior facilidade, como o vento, percebes? Para ti talvez não haja muito a dizer... Mas eu tenho uma agonia capaz de fazer explodir tudo, mesmo tendo pouco para te falar. É que não és só um irmão, tu sabes bem disso, sabes mesmo! Para mim é como se fosses o porto de abrigo quando encontro o frio. Não me lamento quando me refiro a ti. Porque houve muito tempo perdido lá atrás, houve tantas vezes em que poderia ter dado mais valor... E agora quase que te vejo a ir embora. E eu nem quero imaginar esse dia em que saias pela porta e só voltes em celebrações importantes. Não quero. Imploro-te também que nunca me deixes... Imploro-te que sejas sempre aquele que ficará comigo. Por menos que haja, ou por mais que nos possua, eu sei que tu irás ser quem me conhece melhor que ninguém, porque me viste crescer e evoluir conforme as situações. E tenho tanto que te agradecer e retribuir. Escrevi-te uma carta há duas semanas e lá ficou, pronta para hoje te ser entregue... Mas não sei se sou capaz, acredita. Nunca fomos do melhor, nem tivemos uma relação tão próxima como ambos desejamos. O sentimento aumenta, da minha parte. E desejo mesmo que ele seja reciproco. Não há ninguém que deseje tanto como eu que fiques em mim todos os dias. És o meu ser. Um dia partes, mas nunca o deixarás de ser. Olha para mim e lê-me o pensamento.
Sempre, tua irmã.

Um comentário:

ana mendes disse...

de nada princesa :))